artigos relacionados

A vida não tem lado b

Da janela do meu quarto eu vejo os carros passando e me lembrei quando era criança adorava brincar dentro do carro com a minha melhor amiga. Na nossa viagem imaginária eu casava e tinha filhos e ela viajava pelo mundo. Sem perceber, aos dez anos escrevemos a história da nossa vida no chevette do meu pai.

Enquanto eu me preparava para casar, ela estava fazendo intercâmbio. Enquanto ela se formava na faculdade eu estava desistindo pela terceira vez. Cada uma vivendo no seu tempo, um tempo que passou e não volta mais.

Fazer quarenta anos me trouxe uma alegria imensa e junto dela a percepção que a vida é finita e que não tem lado b. Curiosamente a vida me lembrou, que aquele sonho de menina nunca incluiu uma carreira. A vida aconteceu e o tempo foi passando. Trabalhava para pagar as contas, para cumprir um papel, mas não tinha aquele sentimento que estava fazendo a coisa certa.

Eu não observava os sinais. Fui adoecendo aos poucos e como tudo na vida, o corpo exige de nós o cultivo, o cuidado permanente e silencioso. E não é difícil sermos advertidos por ele através de uma doença quando nos esquecemos da realidade. É como se um véu cobrisse meu rosto e eu não visse tudo que estava sentindo. Tomava um remédio e seguia em frente. Fiz isso por muitos anos e no decorrer desses anos eu fiz seis cirurgias. Melhorava e continuava. Eu tinha que continuar, mas era um estado interno de sofrimento e sem saber a solução.

Quando percebi que passaria mais dez anos vivendo aquela vida, eu entendi que era a hora de mudar. Por mim, pela minha família, por todos que estavam a minha volta. Se eu vivesse de verdade, eu convidaria todos ao meu redor a viverem também. Escrevi tudo que gostaria de fazer: voltar a estudar, ter um trabalho que fizesse a diferença na vida das pessoas, mudar de cidade, ter uma casa própria e aos poucos foi acontecendo. Não foi fácil, nem de um dia para o outro. Foi um dia de cada vez, mas diferente das outras vezes, eu não desisti.

A verdade é que nada cai do céu, quando ouvimos nosso coração e decidimos tomar as rédeas da nossa vida, entendemos que não podemos delegar a nossa carreira para mais ninguém. Nós somos os responsáveis pela vida que desejamos ter. E a partir desse momento, quando você aceita essa condição de protagonista só tem duas opções: muda ou continua parado no mesmo lugar reclamando que a vida é injusta,

Hoje eu te convido a olhar para si, por alguns minutos, olhe no espelho e se reconheça. Lembre dos seus sonhos. Perceba a pessoa incrível que você é hoje e o quanto ainda pode fazer por você. Não entregue a sua vida para outra pessoa administrar. Ela pertence a você.

Cuide da sua saúde, observe ao seu redor e se pergunte: a vida que estou vivendo é a vida que desejo? Não espere nem mais um dia para saber a resposta. Escolha ficar do seu lado.

Beijo no ♥

Ticy